domingo, 20 de novembro de 2011

O CÉREBRO

O CÉREBRO
I.1. Processos cognitivos do cérebro
A Teoria Cognitiva Global trata sobre as conseqüências da Teoria Global da Evolução
Condicionada da Vida, de 1992, sobre a filosofia da meta-cognição. Analisa os
sistemas de informação, a teoria do conhecimento e a psicologia do conhecimento
em relação à neurociência e à fisiologia do cérebro na cultura moderna.
Independentemente de outros possíveis pontos de vista, para a Teoria Cognitiva
Global não existe diferença entre os termos cérebro e mente, o que não significa que
se negue a liberdade intrínseca à Vida.
O cérebro quadrado - Niza
No cabeçalho do índice figuram os enlaces relacionados nos quais se incluem os
quatro livros digitais ou livros online grátis em que se dividiu a exposição da Teoria
Cognitiva Global: o cérebro e os computadores, a inteligência e a criatividade, a memória e, por
último, a vontade, os processos de tomada de decisões e a inteligência artificial.
Também se citam nos enlaces relacionados com a própria Teoria Cognitiva Global o
relativo à citada Teoria Global da Evolução Condicionada da Vida, cuja base última é a
21/06/2010 Página 3
mesma, por abordarem as duas teorias o tema central da inteligência, os seus
mecanismos, origens e evolução a partir de distintas perspectivas.
O apartado dos enlaces selecionados corresponde ao Estudo IDI sobre a análise
estatística do inteligente desenho da inteligência com base nos dados longitudinais de
quocientes de inteligência de família (pai, mãe, filhos, irmãos normais e gêmeos)
existentes graças ao Young Adult Study, 1939-1967.
No referido estudo investigam-se empiricamente importantes considerações da
Teoria Cognitiva Global relativas à evolução e ao cérebro.
Convém assinalar que o Estudo IDI demonstra claramente, seguindo o método
científico, os seguintes aspectos:
�� O caráter hereditário da inteligência relacional (r² até 0,99), a
significatividade do cromossoma de menor potencial intelectual e
funcionalidades importantes da diferenciação sexual de acordo com o
apontado pela TGECV e a TCG que se deriva da mesma.
�� O desenvolvimento do potencial intelectual encontra-se limitado pelo
potencial menor dos dois potenciais herdados quando existe a condição de
verificação (caso particular da inteligência condicional). Ou seja, o potencial
intelectual necessita das duas fontes de informação genética recebida dos
progenitores para se expressar e, por outro lado, encontra-se limitado por
ambos.
�� Como se não bastasse, com a cautela que o tema merece, demonstra-se
cientificamente a existência de uma evolução finalista ou teleológica de acordo
com o apontado pela TGECV – Teoria Geral da Evolução Condicionada
da Vida.
A dedução lógica é a necessidade de efetuar estudos mais extensos aplicando a
mesma metodologia, dado que os resultados atuais sugerem uma mudança tão
radical das posturas mantidas no presente pela maior parte da comunidade
científica e da sociedade que bem poderia considerar-se uma mudança de
paradigma.
Um exemplo de aprofundamento do estudo com quocientes de inteligência, que
foi acrescentado posteriormente (Setembro 2002), encontra-se no apartado relativo
à escolha de marido/mulher e inteligência. No referido apartado confirma-se
uma hipótese sobre um requisito concreto relativo ao limite aceitável da diferença em
inteligência no momento de escolher marido/mulher, reforçando simultaneamente a
coerência global do modelo. De fato, o requisito refere-se à escolha inconsciente
de uma inteligência desconhecida para a psicologia atual.
O cérebro humano e a psicologia cognitiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário